Nossa história

A nossa história contada pela noiva com adendos do noivo:

Na verdade, por uma coincidência dessas da vida, nossa história, pra mim Dani, já começou sabe-se lá quando... tenho certeza que o Edegard (Mozzi) não lembra disso, e quase certeza que minha irmã, uma de nossas madrinhas, também não lembra. Não faço ideia do ano que era, se eu estava fazendo estágio ou já advogando, mas em um fim de tarde nos esbarramos no fórum (não foi no Angeloni??), e a Fran estava comigo porque depois íamos comer um pastel na feira :p Rolou aquele sorrisinho amarelo e aquela levantada de sobrancelhas do tipo “Oi” e vida que segue, mas a Fran sugeriu “por que não namoras com ele?” na hora ri e respondi “não viaja, nem sei o nome dele, só conheço de vista da FURB”. Ponto. Não se falou mais nisso.

Realmente não recordo deste episódio da história :P

Passados alguns anos, que eu não sei quanto, nos esbarramos num sábado no Winchester, nos cumprimentamos (noivos educadinhos) e mais uma vez cada um foi pro seu lado, nada demais.

Desta noite eu já recordo, ela estava em uma mesa com algumas amigas e usando um vestido azul :)

Mas naquela segunda-feira seguinte aconteceu mais um encontro casual, agora na Caixa Econômica Federal, e após nos cumprimentarmos de longe lembro que pensei “que coincidência”.

Pensei a mesma coisa, e ainda recordo que conversamos rapidamente.

No dia seguinte eu estava aguardando para ser chamada pelo dentista (Titio Vicente) quando do nada ele aparece na minha frente. Eu sabia que além do dentista, naquela casa também tinha o escritório do Henrique, nosso padrinho filho do Titio Vicente, e seus sócios, mas eu não sabia quem eram exatamente, e um deles era o Mozzi.

Então, ele me cumprimentou de perto, com beijinho na bochecha... Acho que ele também achou engraçado nos encontrarmos com tanta frequência nos últimos dias.

Depois destes três encontros do destino não tinha como não ficar com a ‘pulga atrás da orelha’, então fui buscar informações sobre a menina dos encontros... Falei com o Henrique e ele não tinha muitos detalhes, mas de pronto falou que era uma guria ‘gente boa’. Aproveitei e fui tirar a prova com o Vicente, que disse: Pô cara, é gente boa, pode investir!

Voltando do dentista dei uma procurada nas redes sociais e adicionei o até então guri das coincidências, que agora eu tinha certeza que se chamava Edegard... JURO que não adicionei com segundas intenções, foi só mesmo para retribuir a simpatia do último encontro.

Sem mais intenções, AHAM, SEI! Heheh

Depois de conhecer indiretamente a Mozzi (informações confidenciais da família Chiummo), começamos a conversar mais, papo vai, papo vem...

Começamos a conversar e naquela mesma semana eu ia fazer uma cirurgia... Passados alguns dias da cirurgia ele perguntou se poderia me visitar e eu disse que sim. O recebi descabelada, porque não estava podendo pentear os cabelos, e conversamos no hall de entrada do prédio do meu pai. Ganhei de presente um livro sanguinário, mas achei bem bacana e bonitinho ele ir me visitar... Minha madrasta (Beths) ainda perguntou: quem eeeeeera??? E eu respondi que era só um amigo, o que de fato era...eu ainda não havia pensado em nada além.

Quando ela comentou que iria fazer uma cirurgia fiquei encucado, o que será que ela tem, mas depois descobri que estava tudo bem :) Então pensei em fazer um agrado, para não perder o contato e aparentar o ‘bom moço’, pelas nossas conversas ela já havia declarado que gostava de ler, e então fui nesta linha mesmo, só que não fui feliz na escolha do livro, acho que ela não terminou de ler ele até hoje... Lembro bem que estava sem carro naquele dia e acabei pegando uma carona com o Raphael (Hutz), por que íamos a uma reunião na OAB.

As conversas foram se intensificando, mensagem vai, mensagem vem, "vamos tomar um café no shopping", "vamos jantar na Fest´Itália", "vamos comer uma pizza na Baggio", conversas que rolavam até bem tarde no pátio do prédio onde eu morava com minha mãe, e, após uma ida ao The Basement numa sexta-feira (02/08/2013), acabou acontecendo o primeiro beijo.

No jantar da Fest’Itália tinham vários paparazzis, lembro que tiraram uma foto que circulou nos grupos de whatss dos amigos.

E como iam longe essas conversas, ficávamos horas e horas de papo, não faltava assunto e as horas passavam num piscar de olhos.

Sobre o beijo, demorou mas ele saiu, depois de alguns canecos de chope, mas saiu! hehehe

No dia seguinte saímos juntos novamente, fomos assistir uma luta e comer pizza na casa de uns amigos e era natural que ficássemos novamente; e no domingo eu estava de partida para Fortaleza/CE...já estava com a passagem comprada para passar uma semana por lá e ir na formatura do pseudo primo, sobrinho do meu padrasto (Krepo).

Confesso que essa viagem me deixou apreensivo, será que ela tinha algum ‘amigo’ cearense (cabeça chata) e não queria me falar, porque a história da formatura do sobrinho do padrasto não estava colando. Por isso fiz marcação cerrada e mandava mensagem todo dia... E não é que ela respondia e mandava fotos dos lugares por onde andava!

Confesso que fui viajar pensando que era melhor não criar muita expectativa, deixar rolar, mas a semana no nordeste não impediu que continuássemos nos falando. Eu estava lá quando ele me convidou para passar um fim de semana na Praia do Rosa assim que retornasse... É, pensei, disse que “pode ser”. Pertinho do meu retorno, em uma das nossas conversas, ele perguntou qual o horário da chegada em Navegantes e se eu já tinha comprado as passagens para o ônibus que traz até Blumenau, disse que veria isso na hora, assim que chegasse.

Eis que, em 12/08/2013, chego em Navegantes e lá estava ele, lindo, me esperando! Lembro que fiquei sem jeito pela surpresa e não sabia como agradecer... Eu estava realmente muito feliz em vê-lo ali! Quando chegamos no carro ainda haviam os lírios mais lindos e cheirosos que eu já vi na vida (e uma barra de chocolate Lacta com coco que não sabemos ao certo se ele comeu enquanto me esperava e eu ajudei a finalizar ou se comemos junto). Enquanto voltávamos lembro de ter suspirado e pensado: que lindo, que querido... eu estava me apaixonando.

Ela realmente ficou bem surpresa, não esperava, mas depois de eu confirmar o horário de chegada do avião com a irmã dela, e me certificar que realmente ninguém ia buscar ela no aeroporto, fui certeiro para o encontro.. hehehe

A Mozzi só esqueceu de um detalhe, o avião era para ter chego umas 4 horas antes, pequeno atraso, fiquei a tarde toda colocando o papo em dia com um amigo que mora no litoral.

Depois não nos desgrudamos mais, e como não houve um pedido oficial, consideramos a data em que ele me buscou em Navegantes como “a mudança do nosso status para em um relacionamento sério”. Começamos nos vendo com menor frequência, mas logo chegou o fim de semana na Praia do Rosa, que foi perfeito e onde tiramos nossa primeira foto (essa ali embaixo). Os encontros foram se tornando mais frequentes, até conhecermos um a família do outro (fiquei com medo do sogro quando o conheci com uma cara de bravo, mas é só a cara, a família do Mozzi é maravilhosa e fui muito bem recebida!! Além do namorado ganhei um terceiro pai/mãe, avós amados, irmão mais velho e sobrinho)...E assim começamos a passar os finais de semana juntos... Quando chegava sexta-feira de manhã eu já estava com frio na barriga!!

Lembro muito bem da primeira vez que ele disse que me amava... Eu estava com o tablet dele na mão quando brincando com a Paloma e a Madona (as caninas que faziam a segurança da residência dos sogros) deixei cair no chão e a tela se estraçalhou, comecei a chorar na hora e dizer “vou pagar, vou pagar” quando ele respondeu “mas pra que chorar? Eu te amo!” Chorei muito mais depois disso.

E a cada encontro nosso eu fui me apaixonando mais, ou melhor, sigo me apaixonando mais a cada dia que passa pelo homem incrível que o Mozzi é!!

Passados 2 anos e meio de namoro já tínhamos o plano futuro de morar juntos, mas não era nada imediato. Quis então o destino que antecipássemos nossos planos. Minha irmã e meu cunhado voltaram a morar com a minha mãe até que o novo apartamento deles fique pronto, e na segunda semana dos novos moradores minha irmã descobriu que estava grávida. O apartamento da minha mãe é bastante confortável, mas 5 pessoas mais um bebê ficaria um pouquinho apertado... foi quando decidimos, vamos morar juntos? Lembro de ter olhado bem nos olhos do Mozzi e dito: “olha, não podemos ir morar juntos só porque a Fran engravidou, tem que ser porque nós queremos” e ele respondeu “mas eu quero!”.

E assim começamos a obra da nossa casinha em 31/05/2016, e nos mudamos em 05/08/2016. Nossa primeira noite na casa nova teve abertura das Olimpíadas com lanche do madrugão e champa na geladeira - estávamos muuuito cansados, mas muuuuito felizes.

Antes da mudança o Mozzi havia sugerido de fazermos um churrasco para comemorar nossa mudança com nossas famílias e de cara curti a ideia, porque eu também tinha pensado algo nesse sentido... Marcamos o churrasco para dia 13/08/2016, dia 12/08/2016 teria que ser a noite e não ficaria tão confortável para o Vô e a Vó.

Tudo de caso pensado já...

Chegou então o dia do churrasmento, apelido que a Fran deu para o evento... Naquela semana eu havia falado pra minha mãe e pra Fran “bem que ele podia me pedir em casamento né? Mas calma, muita novidade, cada coisa a seu tempo” e era justamente o que ele havia planejado. Foi o pedido de casamento mais lindo do mundo com as alianças mais especiais que poderiam ser – a aliança que era da Vó, e que está completando 68 anos de casada com o Vô! Hoje ela usa a aliança que era do Vô por ser mais larguinha e a dela nos foi dada de presente (e o Vô danadinho não usa mais aliança).

Tudo planejado e as únicas pessoas que sabiam do que estaria por vir eram a Vó e o Padre Alexandre, e por um milagre a Vó conseguiu guardar segredo. A Mozzi, como sempre, muito nervosa e querendo organizar tudo para receber o pessoal nem desconfiou que teria o ‘pedido’, que na prática não saiu :P Mas no fim deu tudo certo, com direito a discurso dos familiares.

Eu sempre disse que gostaria de casar antes de morar junto, mas as coisas aconteceram de outra maneira e posso afirmar que foi perfeito... Que está sendo perfeito! O Mozzi sabendo do meu sonho de casar não deixou que o fato de morar juntos acabasse com a ideia e marcamos nosso casamento... Dia 12/08/2013 ele foi ao meu encontro em Navegantes; dia 12/08/2017 eu vou ao encontro dele no altar, com o coração transbordando de amor!!

Te amo demais minha vida, acordar ao seu lado todas as manhãs me faz a pessoa mais feliz do mundo!!!

p.s.: os frios na barriga continuam, agora não são mais a cada sexta-feira, são ao final de cada dia esperando o Mozzi chegar do trabalho.

Imagem Sobre